Homepage Cães Cuidados a ter com os cães: Socialização

Abril 20, 2018

Blog thumbnail

Cuidados a ter com os cães: Socialização

Socialização:

A idade recomendada para o cachorro deixar a mãe e irmãos e conhecer os seus novos donos é a partir dos 2 meses. É também a idade ideal apara começar a socializar convenientemente com aquilo que o rodeia, mas ainda não está totalmente imunizado para poder andar na rua. Os donos devem então providenciar essas oportunidades de forma segura, por exemplo, levando o cachorro a casa de amigos que tenham cães saudáveis e vacinados, de várias raças e de várias idades, e claro, que não sejam agressivos para não traumatizar o cachorro. Devem deixá-lo explorar novas texturas, sons, objectos, ambientes (praia, parques públicos, esplanadas, feiras, campo, etc.), mesmo que tenham que o levar ao colo.

A introdução a vários tipos de pessoas e a outros animais, como gatos e pássaros, é importante nesta idade para que aprenda a ser confiante e amigável com todos. Se o seu cachorro se mostrar inseguro, proceda com naturalidade e ignore, não o agarre ou o console, isso só irá reforçar esse comportamento. Se você der o exemplo, após algumas hesitações, ele imitá-lo-á.

Algumas escolas para cães têm classes de socialização de cachorros. São óptimas oportunidades para conhecer novos amigos e aprender obediência desde cedo.

Não substime a importância de uma socialização bem feita, pois todas as más experiências ou a ausência de experiências, entre os 2 e os 6 meses, será catastrófico para o equilíbrio emocional do seu cão em adulto.

 

Educação:

Lá diz o ditado: “de pequenino é que torce o pepino”. É fundamental que a educação começe assim que o cachorro chega a casa. Ensinar a fazer as necessidades num papel de jornal, a obedecer quando é chamado, a andar à trela, a sentar, a ficar quieto, deve ser iniciado logo a partir dos 2 meses. Com muita calma, sem exigir muito, sempre pela positiva (recompensando-o com bocadinhos de guloseima) e apenas durante 5 minutos (várias vezes ao dia), conseguem-se pequenos milagres.

Se necessitar de o castigar opte por dizer firmemente “NÃO!!”, sacudindo-o secamente e olhando-o nos olhos. Não se comova se ele ganir e lembre-se que só vale a pena castigá-lo APENAS se for em flagrante… 5 segundos depois, ele já não perceberá o que fez de mal e apenas ficará ressentido e confuso. Se for um cachorro dominante poderá desafiá-lo e rosnar-lhe, neste caso castigue-o com uma palmada e ignore-o completamente afastando-se dele. É melhor ser firme agora do que fazê-lo mais tarde quando ele for adulto.

Deve ser dominante em relação ao seu cachorro, obrigando-o a comer depois de si, chegar a casa e ignorá-lo por alguns minutos até que se acalme, iniciar e acabar as brincadeiras ou passeios sempre por sua iniciativa (e não dele), não incentivar a brincar com as suas mãos ou puxando objectos para medir forças e nunca permitir que se deite na sua cama ou no sofá sem ser convidado. O truque é a coerência. TODOS os membros da família devem cumprir estas regras sem excepção.